Tempos Litúrgicos


No decorrer do ano, a santa Igreja comemora em dias determinados a obra salvífica de Cristo. Cada semana, no dia chamado domingo (dia do Senhor), ela recorda a ressurreição do Senhor, que celebra também, uma vez por ano, com a bem-aventurada Paixão na solenidade máxima da Páscoa. Durante o ciclo anual desenvolve-se todo o mistério de Cristo e comemoram-se os aniversários dos Santos. Nos vários tempos do ano litúrgico, segundo a disciplina tradicional, a Igreja aperfeiçoa a formação dos fiéis por meio de piedosos exercícios espirituais e corporais, pela instrução e oração, e pelas obras de penitência e de misericórdia.

O tempo da Quaresma:

O tempo da Quaresma visa preparar a celebração da Páscoa; a liturgia quaresmal, com efeito, dispõe para a celebração do mistério pascal tanto os catecúmenos, pelos diversos graus de iniciação cristã, como os fiéis, pela comemoração do batismo e penitência.

O tempo da quaresma vai de Quarta-feira de Cinzas até a Missa na Ceia do Senhor exclusive. Do início da Quaresma até à Vigília pascal não se diz o Aleluia. Na Quarta-feira de abertura da quaresma, que é por toda a parte dia de jejum, faz-se a imposição das cinzas. 

Os domingos deste tempo são chamados I, II, III, IV e V domingos da Quaresma. o VI domingo, com o qual se inicia a Semana Santa, é chamado “Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor”. A Semana Santa visa recordar a Paixão de Cristo, desde sua entrada messiânica em Jerusalém. Pela manhã da Quinta -feira da Semana Santa, o Bispo, concelebrando a Missa com seus presbíteros, benze os santos óleos e consagra o  Crisma. 

Tríduo Pascal

O Sagrado Tríduo Pascal da Paixão e Ressurreição do Senhor resplandece como o ápice de todo o ano litúrgico. Começa com a Missa vespertina na Ceia do Senhor, possui o seu centro na Vigília Pascal e encerra-se com as Vésperas do domingo da Ressurreição.  A Vigília Pascal é considerada a “mãe de todas as Santas vigílias”.  

Na Sexta -feira da Paixão do Senhor, observe-se por toda a parte o sagrado jejum pascal.